segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O início, o fim, o meio.



Há exatamente um ano, começávamos as filmagens de Joelma. Iniciamos pela cena da partida, que inclusive foi a mais demorada de todas e cronologicamente a primeira do filme. O dia marca também o aniversário de Vinício de Oliveira Oliveira, ator que vive o personagem de João, o assassino. Felicitações aos dois.

De lá pra cá, já lançamos o filme, ganhamos premiação, lançamos em outros locais e ponto. O filme não foi mais exibido.  Mas, engana-se quem pensar que Joelma ficou parada nesse período e engana-se quem achar que é tudo muito fácil, glamoroso e perfeito. Fazer um filme é realmente um parto.

Nesse período terminamos a autoração do DVD de Joelma, feita por Henrique Filho, com o filme em 03 legendas (inglês por Diego Araújo, francês por Luísa Aquino e espanhol por Paula Damasceno e Brisa Aziz) e alguns extras.

Exibimos também o Making-of na programação de Verão do Solar 40o de diversão, cultura e diversidade, na Mostra Cual etc e tal, e em seguida, rolou um bate-papo bem interessante, com os participantes do evento.

Em breve, faremos a exibição do curta na Sessão Sexualidades dentro da programação do FECIBA – Festival de Cinema Baiano (www.feciba.com.br) em Ilhéus e em seguida, haverá bate-papo comigo e Fábio Vidal. A Exibição vai prometer. Quando souber exatamente a data, aviso para vocês.

Paralelamente, continuo no processo de inscrição do filme em Festivais e Mostras por todo o Brasil e mundo. Inclusive, já recebemos alguns convites para exibição em TV e em dois Festivais Internacionais, que ainda não podemos falar.

O fato é que só o tempo para nos dar as respostas que precisamos. Ele nos mostra que o fim, nunca realmente é o fim. Ele é escorregadio. Então chego a conclusão de que o fim, na verdade é o meio. E é assim que percebemos que fazer um filme, realmente é se tornar pai, mãe e totalmente responsável pelos atos do seu filho afinal, quem pariu Mateus...

Nenhum comentário:

Postar um comentário